Desistência…

10031_568085706557897_202053064_n

Eu desisto
estou entregando tudo
o luxo e o lixo,
estou desfazendo tudo
o dito e o desdito
sem drama me retiro
sem dores renego
os dramas e o palco.
Basta de tudo isso
paixão e ilusão
esperanças vãs,
então eu desisto
das crenças dos mitos
dos simulacros e delirios
desisto das lutas
basta de tudo isto
desisto…

Mariangela Barreto

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/6139456

Anúncios

Se tudo acabasse agora…

x10x0xts

E se tudo acabasse agora,
como seria o sonho, o tempo
a ilusão?
Como saberia se valeu a pena
a chave, a chuva,
valeu o amor, o choro, o gozo?
Se tudo acabasse agora, assim
neste sopro sem chance,
sem grito, sem nome?
o que será de mim, da minha alma
da chama que reclama, que pensa
que acha que existe e que insiste
em continuar sendo, sentindo
que SOU,
o que SOU?

Mariangela Barreto

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/6138051

Mesmo sendo…

Cor de dentro
Que eu esteja pronta a qualquer momento
para mergulhar nas águas macias da saudade
que envolve, que entorpece a dor seja qual for,
que eu esteja livre para aceitar a vida
com seus dons, magias e percalços,
que eu não crie em meu coração
chagas de resistências e desordens
que eu seja terna como o bater de asas
da borboleta sobre a flor,
que eu seja EU, Meu Deus,
mesmo sendo tudo que penso
e nem imagine  quem sou…
Mariangela Barreto

Jogo lunático da vida…

1150427_620925447940589_622408495_n

Tento não me entregar ás sombras,
ao medo da vida,
tento  superar a dor
transcender pesadelos
tento tudo nada é,
vivo assim perdida no tempo,
quem eu sou, o que quero,
para que tudo isto,
qual o propósito,
porque o tormento?
isto é um jogo lunático
que se chama vida
é um delírio maluco
de quem tem o poder,
filosoficamente insano,
perdidamente errático,
Bukowski tem razão
viver é um problema…

Mariangela Barreto

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/6129366

Templário…

Cavaleiro-Templário_thumb[4]
E aqui estou eu neste momento
cara a cara comigo,qual é meu destino?
rufam ondas de odio,já dobram os sinos
o palco  montado, qual o meu papel?

Joelhos na terra, espada no chão
triste templario nesta solidão
clamo aos ceus por tantos pecados
nada mudou,  sou um desgraçado.

E agora o que faço, qual meu castigo?
ator, expectador,eu sei do perigo
ser ou não ser, ver ou não ver,
qual meu papel, qual meu destino?

Mariangela Barreto

Overdose poética…

Cor de dentro

Estou perdida na overdose poética
que comprime meu peito
transcendendo as lavas da angústia
que me inquietam, não me permite sonhar.

Completamente sóbria, transgrido limites
e me lanço sem medo, sem mágoa,
nas águas profundas de cada palavra
que emerge, que resiste, que renasce.

Neste frenesi onde me perco, me encontro
me acolho, retenho em mim a esperança e a luz
e assim me liberto e conquisto o direito
de ser eu mesma, apesar de tudo, apesar da cruz.

Mariangela Barreto

http://www.recantodasletras.com.br/pensamentos/6121221

Entre a ordem e o caos…

11537479_10153592079676055_8370258784403634465_o

Dentro de mim duas forças me instigam
vivo hesitante entre a ordem e o caos
uma me impele a cruzar a fronteira
outra me insufla a ficar no umbral.
Nas brumas da matrix vago perdida,
o senso comum é cruel é banal
vivo sonhando imagino intrigas
realizo proezas sou descomunal.
Sonho o herói mitológico em Tebas
consagro a vestal pura, virginal
quando desperto é tudo mentira
nem mesmo existo no mundo real…

Mariangela Barreto

http://www.recantodasletras.com.br/pensamentos/6121160

Ás vezes…

1526676_1395986537319834_1412447002_n

As vezes traduzo o grito
as vezes revelo o palhaço
as  vezes me mostro, sou eu
as vezes me escondo, disfarço…
Sou a genese,sou o ethos
imagino o bem,mostro o mal
sou as vezes maça,
as vezes  serpente
sou a Eva, ou Adão
um anjo ou animal
sou o bem, sou a vida
sou o tempo, o misterio
o deus, o inicio e o final…

Mariangela Barreto….

http://www.recantodasletras.com.br/pensamentos/6120333

Tudo nos diz o olhar…

safe_image

Aprendi desde cedo que o olhar traduz emoções, sentimentos  que existem dentro de nós,   a tradição  há muito tempo  diz  que os olhos são as janelas da alma. Ainda me lembro o dia quando ainda muito criança escrevi num trabalho escolar a frase ontologica: Quantas coisas nos diz um olhar… embora tenha sido  muito elogiada pela professora, somente expressei uma simples e profunda intuição animica, porque naquela fase da minha vida, não tinha a percepção exata do sentido desta verdade…

Sim, porque os olhos são as janelas da nossa alma, por isto é  muito difícil,  praticamente impossivel  manipular, disfarçar  a emoção que extrapola as fronteiras físicas do olhar  pois extrafisicamente ela traduz a verdade interior que  vai além. Por isto é que existem atores geniais, magistrais, espetaculares, porque estes não somente utilizam a fala, a linguagem do corpo, mas também e principalmente ao incorporarem totalmente a essência do personagem,a entrega terá de ser completa pois  é no olhar que tudo se revela, e isto não é fácil, nem para qualquer um.

Há algo de mágico que brilha nos olhos de quem ama, há algo de inexplicável nos olhos de quem sofre. Algo insidioso nos olhos inquietos, crueis e frios dos violentos, dos mentirosos, basta observar os olhos dos políticos, enquanto suas bocas mentem, mentem e mentem friamente para enganar os incautos. Observe os olhos  hipnotizados dos fanáticos por algo ou qualquer coisa.. em contrapartida observe o olhar límpido e mágico de uma criança, de um ser iluminado do nosso cotidiano, alguém que está simplesmente  repleto de amor e sinta a paz, a energia profunda cheia de luz que emana destes olhos…

Clarice Lispector nos diz “‘Quantas coisas cabem em um olhar! É tão expressivo, é como falar.” , sim,   porque os olhos conseguem expressar o que somos de forma transparente, revela o que está no nosso coração… o olhar nos diz tudo, tudo nos diz o olhar.!

Mariangela Barreto

Custe o que custar…

mar

É preciso recomeçar,
cada vez e sempre
custe o que custar
é preciso expelir a dor
encarar os fatos, as fotos
os sonhos frustrados,
amados, fracassados.

É preciso seguir em frente
depois do parto, do luto
da briga, recomeçar,
seguir, ir em frente, sempre.

Apesar de tudo
é preciso
fluir com a corrente
tornar-se bambu na vida
que não enfrenta vendaval,
deixar-se embalar na chuva
dançar com a  ventania,
fazer amor com o furacao,
sobreviver,
e enquanto espera o sol,
vai vivendo
seguindo,indo.. em frente.

Mariangela Barreto