Arquivo da tag: consciencia

As Egrégoras do Medo….

1c8d054d39ab4399ac3d4315fa0f642b

 A questão do medo é fundamental para a psicologia e compreensão do ser humano, sabemos que o medo como reação a um perigo real é um alerta, mas além disso pode se tornar um agente incapacitante, uma prisão mental  que aniquila a possibilidade de ser feliz,  não permite evolução,  nem mudanças positivas. Ele evoca pesadelos, fantasmas e um terror interior que suprime os sonhos mesmo os mais possiveis. Este entendimento é o mais comumente compreendido e estudado.

Encontrei um artigo maravilhoso que fala sobre o medo num enfoque dificilmente estudado, o titulo da postagem  é  “O medo – A crise” do blog Prama Shanti, terapeuta holistico que eu sigo, este artigo deve ser lido por todos pois é realmente iluminado, esclarecedor,  o link para o artigo original é este:  https://pramashanti.wordpress.com/2015/10/12/o-medo/

No artigo do Prama Shanti, esta analise sobre o medo  é muito mais profunda,  ele reflete sobre  questão energetica/espiritual  que envolve a manipulação do medo por forças trevosas  que subjugam a humanidade não permitindo ou dificultando o máximo o Despertar da Consciencia, em contrapartida a Luz da  Fonte Criadora.O trecho do artigo que cito abaixo é o eixo que considero o mais importante para esta compreensão:

“É necessário uma crise para instaurar o medo coletivo e manter o controle.O medo torna-se uma grande egrégora, uma potente forma pensamento que entra pelos chacras e contamina a todos que se harmonizam com ela. Seus receios tornam-se medos com muito mais facilidade. O medo corta sua ligação com o Todo e lhe prende a matéria. Achata você no chão.E o medo gera mais medo. As pessoas com medo falam de seus medos aos amigos, que ficam receosos e com medo. O espiritual se afasta da mente das pessoas e o material passa a ser o mais importante. A crise passa a ser o assunto de todas as rodas. O medo derruba a ética e a moral, aumenta o consumo de álcool, os excessos e a busca pela inconsciência. E todos são entregues de bandeja às forças trevosas, que passam a manipular corações e mentes cada vez com mais facilidade.O medo é gerado pela ansiedade com relação ao futuro. O oposto do medo é a confiança. Confiar no seu caminho, no seu Deus. Pensar no agora, que é a única coisa que nós temos, o futuro não é nosso.” Prama Shanti 

  E assim ele finaliza :“Estamos criando a nossa realidade a cada instante e vamos passar pelas experiências que nosso Eu interior já definiu. O modo de passar por estas experiências é determinado pelo nosso nível de consciência. Se este nível for baixo, as experiências serão mais drásticas e grosseiras.Não se deixe contaminar por esta corrente trevosa, mantenha a confiança no seu caminho e em vez de divulgar a crise, divulgue a serenidade de quem confia.” Prama Shanti….https://pramashanti.wordpress.com/2015/10/12/o-medo/

Gratidão imensa… são muitos mestres em nossas vidas que vem para iluminar nosso caminho, sejamos felizes…

Mariangela Barreto

A consciência nunca morre…

10031_568085706557897_202053064_n

E quando o imponderável acontece, caindo  sobre nós o inesperado que nos tira do prumo, nos arranca da frágil zona de segurança que desesperadamente  fingimos existir? Como não se desesperar,  como não sentir-se  desprotegido, perdido, sem nenhuma saida, o que resta fazer diante de algo imensurável e definitivo?

Aconteceu nestes dias  meu jovem sobrinho, tão lindo, meigo, pai de uma menininha de um aninho, que chegou em casa e correu para abraça-lo, o chamou e ele não acordava, porque morreu, o coração parou, assim, do nada, de repente. O que fazer com esta  dor dilacerante  que a gente sente, diante deste imponderável avassalador e inexoravel destino humano do ser lançado para a morte. Uau!… Heidegger e a angústia, tem a vida algum sentido?

Mas não pretendo mergulhar neste abismo da angústia,  submergi muito profundamente por estas águas, agora escolho outros caminhos. Prefiro refletir com Osho, que fala com tanta sabedoria e profundidade que a morte é como uma porta, que é para ser atravessada, inexoravelmente todos nós passaremos por ela. Na minha vida,tantos seres amados já passaram  e sempre doí tanto, tanto e continuo aqui aguardando minha vez .

A maneira como Osho fala da morte, me aquieta, me consola,e ele diz tão sabiamente : ” A morte é uma porta, não é uma parada. A consciência se move, porém seu corpo permanece na porta – exatamente como você chegou aqui e deixou seus calçados na porta. O corpo é deixado fora do templo e sua consciência penetra no templo. É o fenômeno mais sutil, a vida não é nada diante disso. A vida basicamente é apenas uma preparação para morrer, e somente aqueles que são sábios aprendem em suas vidas como morrer. Se você não souber como morrer você terá perdido todo o significado da vida: é uma preparação, é um treino, é uma disciplina.”

A percepção da vida como treino, como aprendizado, como um caminho, preparação como diz Osho, para o morrer, não no sentido de acabar, findar mas como algo maior numa consciencia que avança, que se move´, põe a questão da morte em outra perspectiva. Mas infelizmente no mundo ocidental não é comum a tradição de  acolher com naturalidade, a  mortalidade. Até a palavra morte é temida e até evitada, restando somente o desespero, o medo, tornando-a a grande ameaça que ronda os seres viventes, e nesta concepção é pura angústia.

Finalizo com imensa gratidão a magnifica sabedoria de Osho colhida no seu artigo “Morte como uma porta”(Osho, And the Flowers Showered, Discurso #5):                                                     “A vida não pode morrer.Em algum lugar você ficou identificado com o corpo, com o mecanismo. O mecanismo é para morrer, o mecanismo não pode ser eterno, porque o mecanismo depende de muitas coisas; é um fenômeno condicionado. Consciência é incondicionada, não depende de nada. Ela pode flutuar como uma nuvem no céu, ela não possui raízes, ela não é causada, ela nunca nasceu, então ela nunca poderá morrer.”

E assim vou seguindo, aprendendo, consciencia mutante Eu sou..

                                                Mariangela Barreto

 

 

 

 

A armadura e o ego…

x10x0xts.gif

Sei uma coisa sobre o ego…ele não gosta de olhar para dentro, não suporta o silêncio.  Tenho me debruçado muito sobre o entendimento do ego, do meu é  claro, muito briguento, conflituoso, sempre na defesa, se desculpando, mergulhando em águas sombrias onde vive se afogando e  correndo  em labirintos cercado de sombras.

Fica dificil viver em paz, se permitir estar em paz, vivendo assim, possuida por esta reatividade, esta dualidade compulsiva, enquanto minha essencia minha centelha quer se expandir, impossibilitada pelo ego que se impõe. Mas eu sei que é preciso ter paciência consigo mesmo neste caminho de autoconhecimento, onde  observador e observado, o yin e yang  dançam esta dança, em busca do equílibrio. Assim entre muitas e profundas reflexões, de percorrer tantos caminhos, distimias e desculpas,  encontrei lá no fundo, no mais escuro da tristeza e da negação, a raiz de tudo, encontrei o medo, encolhido, escondido, travestido de guerra, batalhas, gritos, agressões, inveja, confronto, sentimentos de inferioridade, rejeição, ambição, vaidade, o medo agarrado no sentimento de posse e gritos de guerras, temendo desesperadamente a perda. Lembrei do que Buda falou,”Quanto maior a armadura mais fragil é o ser que a habita” e assim  eu consegui encarar o ego, meu ego frágil, infantil, perdido,  mascarado  de bicho papão, mas completamente dependente do que existe fora de si mesmo para sobreviver e manter a ilusão de ter o controle e o  poder.

E  nesta investigação profunda, cara a cara com o medo, o ego encontra-se desnudo? o que fica a não ser este momento Agora, onde a presença reluz, numa calma sem eco, sem burburinho, o que fica a não ser o silencio, a consciencia…. o que resta enfim, o eu sou, o tudo ou o nada?

Mariangela Barreto

Consciencia Mutante…

Consciência Mutante …

Vivo tateando entre a sombra e a luz, numa distimia inconstante. Num dia  a euforia toma conta de mim e no outro desço ao umbral do mundo onde as sombras dominam. Assim caminho oscilante, meio perdida num dia pertenço ao paraiso, sou anjo, santa, criança, ser de luz, no outro sou bicho, sou fera, guerreira sedenta de luta e de guerra, assim eu sangro, assim eu vivo, inconstante, relutante, despertante, uma consciencia mutante …

Mariangela Barreto

Os desafios e o “Poder além da vida” …

Imagem
Ontem, depois de algum tempo, assisti pela terceira vez o filme Peaceful Warrior “Poder além da vida” , gosto muito da historia, o roteiro é baseado em fato real e faz toda diferença. No entanto o que acho muito legal é a oportunidade de observar e refletir sobre conceitos básicos e fundamentais para quem trilha o caminho do autoconhecimento, mesmo com a abordagem glamurizada de hollywood na elaboração da produção.
 
O  jovem ginasta Dan, apesar das singularidades de cada individualidade,assemelha-se a tantos seres humanos que passam a vida completamente envolvidos nos seus prazeres, dores, ilusões, sonhos agindo mecanicamente, completamente alheios as reflexões e sentido mais profundo da jornada existencial. Apesar de ser um jovem atleta bem sucedido, bonito, inteligente e rico, uma intensa inquietude interior provoca uma insonia que o faz sair de moto pelas noites, ate que um dia ele conhece um homem que trabalha num posto de gasolina, a quem chama de Sócrates e sua vida nunca mais será a mesma.
 
Este homem passa a lhe questionar sobre o seu estilo de vida, seus valores, a sua vida repleta de superfluidade, ensina-lhe sobre a importancia da concentração, do vazio da mente e vários outros conhecimentos profundos e sábios. No primeiro momento o jovem não entende que todo o aprendizado está voltado basicamente para  a transformação interior e novas percepções e ampliação da compreensão da consciencia da vida e do mundo. Isto provoca uma ruptura entre ele e o mentor e logo após acontece um acidente terrivel que praticamente impossibilita a continuidade da vida esportiva do garoto.
 
Os desafios para superação provocam um aprofundamento nas inquietantes reflexões que transformam sua vida:
“Livre-se do lixo, tudo que não precisa, está aí, no pensamento”
“Não existe inicio nem chegada só o caminho”
“A vida é um misterio, não desperdice seu tempo tentando entender” 
“Onde você está? aqui…Que horas são? agora…O que voce é? este momento.!”
 
Para quem tem interesse no tema 
vale muito a pena assistir este filme…eu recomendo, afinal 
“Sempre tem alguma coisa acontecendo, nada na vida é banal”… 
 
Seja feliz!
Imagem
Mariangela Barreto