Arquivo da tag: vida

Tudo nos diz o olhar…

safe_image

Aprendi desde cedo que o olhar traduz emoções, sentimentos  que existem dentro de nós,   a tradição  há muito tempo  diz  que os olhos são as janelas da alma. Ainda me lembro o dia quando ainda muito criança escrevi num trabalho escolar a frase ontologica: Quantas coisas nos diz um olhar… embora tenha sido  muito elogiada pela professora, somente expressei uma simples e profunda intuição animica, porque naquela fase da minha vida, não tinha a percepção exata do sentido desta verdade…

Sim, porque os olhos são as janelas da nossa alma, por isto é  muito difícil,  praticamente impossivel  manipular, disfarçar  a emoção que extrapola as fronteiras físicas do olhar  pois extrafisicamente ela traduz a verdade interior que  vai além. Por isto é que existem atores geniais, magistrais, espetaculares, porque estes não somente utilizam a fala, a linguagem do corpo, mas também e principalmente ao incorporarem totalmente a essência do personagem,a entrega terá de ser completa pois  é no olhar que tudo se revela, e isto não é fácil, nem para qualquer um.

Há algo de mágico que brilha nos olhos de quem ama, há algo de inexplicável nos olhos de quem sofre. Algo insidioso nos olhos inquietos, crueis e frios dos violentos, dos mentirosos, basta observar os olhos dos políticos, enquanto suas bocas mentem, mentem e mentem friamente para enganar os incautos. Observe os olhos  hipnotizados dos fanáticos por algo ou qualquer coisa.. em contrapartida observe o olhar límpido e mágico de uma criança, de um ser iluminado do nosso cotidiano, alguém que está simplesmente  repleto de amor e sinta a paz, a energia profunda cheia de luz que emana destes olhos…

Clarice Lispector nos diz “‘Quantas coisas cabem em um olhar! É tão expressivo, é como falar.” , sim,   porque os olhos conseguem expressar o que somos de forma transparente, revela o que está no nosso coração… o olhar nos diz tudo, tudo nos diz o olhar.!

Mariangela Barreto

Anúncios

Custe o que custar…

mar

É preciso recomeçar,
cada vez e sempre
custe o que custar
é preciso expelir a dor
encarar os fatos, as fotos
os sonhos frustrados,
amados, fracassados.

É preciso seguir em frente
depois do parto, do luto
da briga, recomeçar,
seguir, ir em frente, sempre.

Apesar de tudo
é preciso
fluir com a corrente
tornar-se bambu na vida
que não enfrenta vendaval,
deixar-se embalar na chuva
dançar com a  ventania,
fazer amor com o furacao,
sobreviver,
e enquanto espera o sol,
vai vivendo
seguindo,indo.. em frente.

Mariangela Barreto

 

Tanta gente…

59

Tanta gente precisando de um abraço, tanta gente precisando de um apoio, tanta gente precisando de amor… tanta gente só, tanta gente triste, tanta gente …

Tanta gente sofrendo desnutrida, dentro e fora de si, completamente  perdida, faminta , tanta gente desvairada destruída sem suporte para a vida, sem amor, sem redenção… sem saída

Bastasse somente um abraço, bastasse somente um sorriso, bastasse somente uma ideia, um conceito,  não somos nada um sem os outros… impossível ser feliz enquanto o outro morre de fome,fome de comida, fome de carinho, fome de amor, fome de ternura..fome de vida.

Bastasse somente o olhar compassivo de paz, de amorosidade com o irmão que passa ao lado, na rua, no metrô, em casa… mudava tudo.. a vibração e a sintonia, assim a chama renascia, se fosse dada a chance de falar com o   coração…

Elo dos elos, pontes das pontes, tanta gente sarada, curada, abençoada, bastasse deixar  o amor desmontar as carências,  a indiferença, a cegueira, a ganância e permitir emergir da alma a verdadeira missão, somos todos um, centelha da mesma Fonte, poeira das estrelas, somos todos irmãos.

Sejamos Felizes… Eu Sou consciencia mutante em evolução..

Mariangela Barreto

A consciência nunca morre…

10031_568085706557897_202053064_n

E quando o imponderável acontece, caindo  sobre nós o inesperado que nos tira do prumo, nos arranca da frágil zona de segurança que desesperadamente  fingimos existir? Como não se desesperar,  como não sentir-se  desprotegido, perdido, sem nenhuma saida, o que resta fazer diante de algo imensurável e definitivo?

Aconteceu nestes dias  meu jovem sobrinho, tão lindo, meigo, pai de uma menininha de um aninho, que chegou em casa e correu para abraça-lo, o chamou e ele não acordava, porque morreu, o coração parou, assim, do nada, de repente. O que fazer com esta  dor dilacerante  que a gente sente, diante deste imponderável avassalador e inexoravel destino humano do ser lançado para a morte. Uau!… Heidegger e a angústia, tem a vida algum sentido?

Mas não pretendo mergulhar neste abismo da angústia,  submergi muito profundamente por estas águas, agora escolho outros caminhos. Prefiro refletir com Osho, que fala com tanta sabedoria e profundidade que a morte é como uma porta, que é para ser atravessada, inexoravelmente todos nós passaremos por ela. Na minha vida,tantos seres amados já passaram  e sempre doí tanto, tanto e continuo aqui aguardando minha vez .

A maneira como Osho fala da morte, me aquieta, me consola,e ele diz tão sabiamente : ” A morte é uma porta, não é uma parada. A consciência se move, porém seu corpo permanece na porta – exatamente como você chegou aqui e deixou seus calçados na porta. O corpo é deixado fora do templo e sua consciência penetra no templo. É o fenômeno mais sutil, a vida não é nada diante disso. A vida basicamente é apenas uma preparação para morrer, e somente aqueles que são sábios aprendem em suas vidas como morrer. Se você não souber como morrer você terá perdido todo o significado da vida: é uma preparação, é um treino, é uma disciplina.”

A percepção da vida como treino, como aprendizado, como um caminho, preparação como diz Osho, para o morrer, não no sentido de acabar, findar mas como algo maior numa consciencia que avança, que se move´, põe a questão da morte em outra perspectiva. Mas infelizmente no mundo ocidental não é comum a tradição de  acolher com naturalidade, a  mortalidade. Até a palavra morte é temida e até evitada, restando somente o desespero, o medo, tornando-a a grande ameaça que ronda os seres viventes, e nesta concepção é pura angústia.

Finalizo com imensa gratidão a magnifica sabedoria de Osho colhida no seu artigo “Morte como uma porta”(Osho, And the Flowers Showered, Discurso #5):                                                     “A vida não pode morrer.Em algum lugar você ficou identificado com o corpo, com o mecanismo. O mecanismo é para morrer, o mecanismo não pode ser eterno, porque o mecanismo depende de muitas coisas; é um fenômeno condicionado. Consciência é incondicionada, não depende de nada. Ela pode flutuar como uma nuvem no céu, ela não possui raízes, ela não é causada, ela nunca nasceu, então ela nunca poderá morrer.”

E assim vou seguindo, aprendendo, consciencia mutante Eu sou..

                                                Mariangela Barreto

 

 

 

 

Até o próximo ato…

1150427_620925447940589_622408495_n

A vida, esta energia vibrante que tudo permeia e que  está em tudo  não tem finitude, é  puro  movimento nestas linhas e traços  que se propagam  indefinidamente entre universos que transitam entre ondas, linearidades, espirais geométricas e fractais  onde a atração vibracional  molda palcos, mundos incompreensíveis e inimagináveis.

Aqui nesta dimensão  densa, onde a sutileza da beleza da energia do jogo de luzes se condensa e limita, mesmo assim, entre as frestas que acontecem entre o tempo do  sono e o despertar, eu tenho a certeza de  que  a vida continua  de várias formas, em várias dimensões, em vários seres e roupagens,  transformações e movimentos,  impermanência é a assinatura deste mistério…

E aqui estou, se como voluntária ou exilada, não sei, importa que estou aqui, consciência mutante, no thaumazein  deste momento existencial que  me surpreende entre  vivencias e desafios diante da diversidade dos niveis de consciência, dramas e revelações  que  existem neste mundo. E diante da imensidão deste espaço multidimensional, eu sou imensamente grata a esta imensurável Fonte de vida criadora, da qual sou uma pequena centelha cocriadora que se revela. Neste corpo onde vivo, lentamente me desapego das vestes e formas, onde o personagem se traveste até o próximo ato. E assim me expando consciência mutante, Eu Sou.

Mariangela Barreto

Agora, seja lá o que for…

chakras2

Sinto um estranhamento em mim, como  placas tectônicas se movendo, se deslocando antecipando uma grande erupção. Não sei o que é isto que sinto, não é tristeza, nem angústia, nem nada que me tire do centramento e leveza  em que me encontro. Percebo-me   como uma  observadora de um  cenário preparado para um grande evento, neste emaranhado de conexões, interações e intercâmbios de ecos e ondas onde a geometria da vida toma forma, quando será, quando vira?  Este silencio que se faz neste momento , me prepara para este algo misterioso e inexorável que esta próximo, como um parto que foi deflagrado.

Sei que o mundo está passando por mudanças profundíssimas,  que estamos fazendo uma transição planetária onde nada mais será como antes pois o salto da  humanidade para outro estágio de paradigmas e inovações inéditas já está acontecendo, já estamos nele, literalmente.

Não tem mais como impor os velhos e ultrajantes dogmas que tanto escravizaram o mundo, que tanto mutilaram a pureza da essência dos homens. Tudo está sendo revelado, máscaras caindo, verdades e mentiras sendo reveladas, desveladas. Não tem mais como enganar, a separação do jóio e do trigo está acontecendo da maneira mais simples, mais óbvia onde as pessoas se desnudam, revelam o interior, a cor da aura,  da forma mais natural e livre.

Sinto a energia, sinto a conexão, sinto a luz, estou aqui centrada, completamente conectada com a unica realidade possivel, este momento onde tudo acontece, onde tudo é, onde tudo existe, seja lá o que for, só existe agora…

Mariangela Barreto

A armadura e o ego…

x10x0xts.gif

Sei uma coisa sobre o ego…ele não gosta de olhar para dentro, não suporta o silêncio.  Tenho me debruçado muito sobre o entendimento do ego, do meu é  claro, muito briguento, conflituoso, sempre na defesa, se desculpando, mergulhando em águas sombrias onde vive se afogando e  correndo  em labirintos cercado de sombras.

Fica dificil viver em paz, se permitir estar em paz, vivendo assim, possuida por esta reatividade, esta dualidade compulsiva, enquanto minha essencia minha centelha quer se expandir, impossibilitada pelo ego que se impõe. Mas eu sei que é preciso ter paciência consigo mesmo neste caminho de autoconhecimento, onde  observador e observado, o yin e yang  dançam esta dança, em busca do equílibrio. Assim entre muitas e profundas reflexões, de percorrer tantos caminhos, distimias e desculpas,  encontrei lá no fundo, no mais escuro da tristeza e da negação, a raiz de tudo, encontrei o medo, encolhido, escondido, travestido de guerra, batalhas, gritos, agressões, inveja, confronto, sentimentos de inferioridade, rejeição, ambição, vaidade, o medo agarrado no sentimento de posse e gritos de guerras, temendo desesperadamente a perda. Lembrei do que Buda falou,”Quanto maior a armadura mais fragil é o ser que a habita” e assim  eu consegui encarar o ego, meu ego frágil, infantil, perdido,  mascarado  de bicho papão, mas completamente dependente do que existe fora de si mesmo para sobreviver e manter a ilusão de ter o controle e o  poder.

E  nesta investigação profunda, cara a cara com o medo, o ego encontra-se desnudo? o que fica a não ser este momento Agora, onde a presença reluz, numa calma sem eco, sem burburinho, o que fica a não ser o silencio, a consciencia…. o que resta enfim, o eu sou, o tudo ou o nada?

Mariangela Barreto

Fluir com a vida…

Movimentos, avanços, mudanças
a vida é assim esse dançar,
um novo degrau a subir
novo misterio a  desvendar.
A Vida é incrivel,
magia deslumbrante,
não resista,não lute,
flua com a vida,
dance..

Mariangela Barreto

  http://www.recantodasletras.com.br/pensamentos/5732518

mar

No limiar dentro de mim…

meditacao2

No limiar da fronteira
entre a sombra e a luz
em me vejo na penumbra
e vislumbro minha alma
cheia de paz e leveza
repleta de sonhos,riquezas
nascituros da beleza
desconhecida e profana
que habita entre suspiros e ilusões
e confundem a esperança,
da alegria da criança que existe
em mim!

Tropeço, hesito,
sigo, vou em frente,
ouvindo meu coração
que sussura docemente:
continua!!!!!

10255043_733847326657401_3153996139962489014_o

Mariangela Barreto-

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/5132592

Eu, mulher…

SDC11867

Eu, mulher
sorridente, diferente, carente, displicente
uma incognita transcendente, ludica,voraz
semente da vida e  sonhos de paz…

Eu, assim mulher tão linda,
embevecida pelo luar e  poesia
num embate entre o éden e o hades,
entre  a fantasia, amor e a magia .

Eu assim, mulher amada, cortejada
desejada,
amparada pelos anjos e deuses,
no fio da navalha entre o tudo e o nada
entre o cheio e o vazio…

Eu, onde a vida é gerada em mim.
onde o amor toma forma e corpo
simples deusa,humana guerreira,
criança brejeira, simples mulher,
coração e sonhos, nada mais!!!

Mariangela Barreto

13936323741393632374

http://www.recantodasletras.com.br/poesiascomemorativas/5162649